Conheça o contrato de empreitada por preço global, preço unitário e administração suas principais vantagens e desvantagens.

Muitas pessoas têm dúvidas sobre o contrato de empreitada ideal para sua obra.

A verdade é que o modelo de contratação deve variar de acordo com os seus conhecimentos sobre construção civil.

Certos modelos de contrato de empreitada, não são indicados para iniciantes, por requerer do contratante maior controle sobre as atividades desempenhadas na obra.

Temos outro artigo explicando Tudo sobre Construção de Casas, leia já.

Tipos de contrato de empreitada

Dependendo do tamanho da obra, é necessária deslocar uma equipe somente para gerenciar os contratos dos diversos empreiteiros presentes no canteiro.

Para pessoas com conhecimentos básicos, indicamos contratar empreiteiro que realize todas as atividades da construção.

Assim, você facilitará o contato e a centralizando a cobrança de resultados em apenas uma pessoa.

Estipulando as entregas e prazos em um cronograma, você consegue fiscalizar se a obra está dentro dos limites estipulados e quais foram os problemas/justificativas para os possíveis atrasos.

Atualmente os modelos mais comuns de contrato de empreitada são: Preço Global, Preço Unitário e Administração.

Abaixo vamos descrever as vantagens desvantagens de cada modelo:

Leia nosso outro artigo sobre como contratar um engenheiro, para complementar suas informações.

 

Contratação a Preço Global

Para  pessoas com conhecimentos básicos, indicamos o contrato de empreitada por preço global.

A contratação a preço global, segundo a lei 8.666, se dá “quando os serviços ajustados são pagos com base no seu custo total preestabelecido, nele compreendidas todas as despesas diretas e indiretas, inclusive o lucro da contratada”.

Isso quer dizer, no contrato de empreitada por preço global fica acordado um valor total pela realização completa serviços, sendo todas despesas que possam diretamente ou indiretamente incidir sobre o valor da obra, já inclusas no preço.

Vantagens:

– Medição/pagamento periódico simples:  Você paga por etapas pré acordadas com o prestador.

Exemplos:

Ao realizar completamente a fundação o empreiteiro recebe xx% do contrato.

O fornecedor vai receber xx% ao início dos serviços e xx% ao término e aceite final da obra.

– Estimula a produtividade – Neste modelo, recebe-se por serviço executado incentivando a equipe a concluir as etapas rápido, para receber a parte acordada.

– Fiscalização reduzida – Remunerando o fornecedor por conclusão de etapas, há menos necessidade de fiscalização na obra, já que o serviço só será pago depois que concluído.

– Facilidade no acompanhamento físico-financeiro – Com a simplicidade nas medições o acompanhamento do contrato é facilitado.

Desvantagens:

– Aumenta o risco que corre o empreiteiro:  Como o preço total é acordado antes da execução dos serviços, a empreiteira está sujeita a arcar com possíveis erros de cálculo no orçamento, improdutividade por falta de materiais, equipamento, mão de obra, chuva, gerando pleitos e discussões.

– Aumento do custo da obra: Como o empreiteiro arca com o risco de erros sobre o orçamento da obra, é comum neste modelo de contratação o prestador colocar uma “gordura” no preço para garantir a conclusão do projeto.

– Necessidade de escopo definido: Para se propor um preço global para execução de um empreendimento, são necessárias condições de estudo prévio de todas as atividades que vão estar envolvidas na obra.

– Aumento custo para contratante na fase de orçamento: É exigido do contratante especificações, projetos, detalhes definidos, para elaboração do orçamento da obra.

– Erros de orçamento são impactantes no resultado da obra, podendo se resultar em lucro ou prejuízos ao empreiteiro.

– Alteração do que será feito na obra gera negociações de preço.

 

Contratação a preço unitário

Recomendamos a contratação por preços unitários para pessoas que já tenham conhecimento sobre obra.

A contratação a preço unitário segundo a lei se dá “quando os serviços ajustados são pagos com base no preço de cada um dos itens de serviço que o compõem, sendo pago por quantidades obtidas através de avaliações ou medições”.

Ou seja, cada serviço da obra tem um preço unitário, e, será periodicamente pago ao empreiteiro a quantidade que ele executou de cada serviço multiplicado pelo valor unitário do serviço.

Exemplo:

Ficou acordado o valores de 10 R$ por metro quadrado de alvenaria executada pelo empreiteiro.

Ao final de um mês, o empreiteiro executou 100 metros quadrados de alvenaria.

10 R$ multiplicado por 100 metros quadrados é o valor que o empreiteiro receberá este mês.

 

Vantagens:

-Estimula a produtividade: A contratada se empenha para executar o maior quantitativo de atividades possíveis, pois assim aumentará seu rendimento periódico.

– Facilidade de negociação – A alteração de projeto ou surgimento de novas atividades no decorrer da obra, podem ser claramente resolvidas com a adição de um novo item com o respectivo preço unitário.

Baixo custo para confecção do orçamento – Não há necessidade do detalhamento refinado do empreendimento para se ter preços unitários dos serviços.

Desvantagens:

– Pagamento trabalhoso – É necessário calcular tudo que foi realizado pelo empreiteiro para chegar no valor de cada parcela de recebimento.

– Erros no orçamento – Devido ao baixo rigor nas especificações recebidas na fase de orçamento os projetos, esse modelo de contratação é suscetível a divergências no entendimento do que se foi solicitado e o que está orçado, encorajando pleitos contratuais.

 

Contratação por administração

A contratação por administração segundo a lei 8.666 é aquela que “o pagamento dos custos indiretos e lucro é feito através de uma taxa percentual preestabelecida (taxa de administração) aplicada sobre o montante da mão de obra, ou seja, são remunerados os Homens-hora aplicados, estando neste preço embutidos os lucros e custos indiretos”.

A contrata apenas disponibiliza seu pessoal para gerenciar as atividades da obra, sendo a remuneração dos lucros e outros custos da empresa, já inclusas na taxa de administração.

É muito comum contratar um engenheiro para gerenciar as atividades da obra, pagando apenas seu empenho de tempo.

Esse modelo de contratação é mais usual para quem já tem conhecimentos sobre obra.

 

Vantagens:

Negociação contratual simples: é necessário apenas negociar o valor para o pessoal ser alocado no projeto.

– Baixo risco: Você centraliza todas atividades gerenciais do seu projeto em um empreiteiro.

 

Desvantagens:

– Improdutividade: Menor responsabilidade da contratada sobre os serviços executados, pouco estímulo ao empreiteiro para finalizar o projeto rápido.

– Alto custo: Além de contratar o “administrador” é necessário arcar com todos os outros custos da obra.

Leia nosso artigo falando dando dicas para evitar atraso na entrega de sua obra.

Portanto, com estas informações, agora é possível escolher o melhor contrato de empreitada para sua obra.

 

Espero que este artigo tenha ajudado, deixe suas dúvidas/sugestões nos comentários.